quinta-feira, 30 de março de 2017

OS PSEUDOS PURISTAS E A LAMA QUE OS RODEIA

O camarada se lança candidato a um cargo político e já dispara: Políticos são ladrões, todos corruptos; um bando de criminosos que se aproveitam do povo!

O tal honesto, ganha a eleição e já se descobre que tinha conseguido um carguinho para a nova mulher (sim, sempre que ganham um novo cargo também arranjam mulher nova); o carguinho era no gabinete de um companheiro de sigla partidária, coisa que antes de ser eleito o purista nunca admitiria.

Eles começam dizendo que, se pudessem (!), se lançariam na política sem partido político, como se fossem os super-homens da honestidade; alguns gostariam de ser comparado as “virgo vestalis” romanas, tal a pureza que acreditam estar imbuídos.

Agora mais um vestal, que já tinha as calças sujas da lama politiqueira, escorrega no lodaçal da imundície que pavoneia àqueles que dizem que são o que não são.

Bateu na mulher e apresenta desculpas tão esfarrapadas que até sertanejo não consegue engolir.

Poderia pelo menos ter solicitado à mulher que criasse o benefício da dúvida, e a recompensasse por tal atitude benemerente.

De dois episódios semelhantes chego à conclusão que dupla sertaneja está mais afinada do que senador da ré-pública.

E o eleitor que crie vergonha do voto jogado na lama e faça um “mea culpa”, começando já no pleito de 2018 a limpeza necessária, expurgando dos cargos políticos homens sem conhecimento, sem formação, sem caráter, sem liderança; aproveitadores da boa fé do cidadão e enganadores da população.

Para ser um bom político não é suficiente ser conhecido do público por este ou aquele trabalho, ou amplamente ovacionado pela mídia; não basta a fama trazida por uma determinada profissão. É necessário altruísmo, engajamento, determinação, rigor, conhecimento jurídico e da ciência política; formação acadêmica para não falar e fazer bobagens; formação e atitude humana. Educação ética e moral, além de uma boa dose de “franciscanismo”, para acabar de vez com a “locupletação” e os nababescos desperdícios com o dinheiro público. 

A TAL DE JURISPRUDÊNCIA "AMIGAÇA"!

O mal da jurisprudência! 
O julgador interpreta monocraticamente e depois, baseando-se nessa interpretação, os demais a utilizam como verdade. 
"Impicharam" Dilma e não cassaram seus direitos!
A sorte, nesse caso do impedimento da ex-presidente, é que não foi produzida uma súmula. 
Agora o tal Benjamim, desconhecido ministro do STJ, vai pelo mesmo caminho ao relatar o processo de cassação da chapa Dilma/Temer. 
Mas poderia ter tido uma interpretação diferente, melhorando o julgamento "amigaço" de Levandowski ao não declarar Dilma com os direitos políticos suspensos. 
Que cassem, mas cassem tudo!

A POPULARIDADE DE BARBOSA E DE MORO NO IMAGINÁRIO POLITIQUEIRO

É por isso que temos os Parlamentos e os Executivos Estaduais e Municipais (além do Executivo Federal) eivados de aproveitadores de ocasião; o povo nada entende de política e vota no mais "famoso". A mídia determina quem é quem. 

É só lembrarmo-nos de Joaquim Barbosa antes do mensalão, criticado pela mídia como gazeador do serviço público e tornado herói porque cumpriu sua obrigação como relator de um processo que havia se tornado notório e famoso por conta de uma novela, embora verdadeira, bem encenada por Roberto Jefferson. 

Agora, desencadeada a corrida ao pleito presidencial de 2018, os ávidos pesquisadores o apresenta, juntamente com Sérgio Moro, como prováveis candidatos à suceder Temer.

Moro é um bom juiz, torná-lo político é um desserviço à Nação; Barbosa tem é que cuidar dos netos e o mesmo vale para Carmen Lúcia, também lembrada nos círculos de pesquisas aleatórias e convenientes que servem para preparar os sorrateiros políticos que já estão a postos.

São necessários novos políticos, que tenham conhecimento, liderança e formação; tem muita gente boa escondida na multidão!

Está na hora de apostar em gente nova, jovens, com garra e determinação, pois o futuro a eles pertence.

Deixemos essa mesmice política, de salvadores da pátria e heróis de ocasião para o passado, que pode nos ensinar como não fazer política.

DITADURA CONSOLIDADA: O verdadeiro golpe!

O Tribunal Supremo de Justiça destituiu a Assembleia Nacional da Venezuela ontem, quarta feira, dia 29-03-2017.

Apesar do Golpe nenhuma linha sobre o acontecimento foi publicada pela imprensa brasileira e os defensores do povo e indignados parlamentares brasileiros que apelidaram o impedimento da ex-presidente Dilma de "golpe" nada comentaram e nem mesmo se indignaram contra tal arbitrariedade. 

O que seria Golpe para tais falaciosos?

Com a maioria parlamentar contrária ao Presidente Nicolás Maduro o Tribunal Supremo de Justiça, controlado pelo "chavismo", decretou a perda da imunidade parlamentar somente dos deputados que se opõem ao governo, e que são maioria na destituída Assembleia Nacional (equivalente ao Congresso Nacional do Brasil); para compensar outorgou à Maduro plenos poderes, incluindo algumas atribuições especiais, como em questões de ordem penal, militar, econômica, social, política e civil.

Enquanto isso...

Aqui no Brasil, caladinhos, os democratas de arremedo se furtam a comentar, esclarecer ou noticiar o Golpe na frágil democracia Venezuelana, que já faleceu antes mesmo de ter existido, pois com Hugo Chaves não era diferente, apenas melhor maquiada.

segunda-feira, 13 de fevereiro de 2017

COMEÇOU A GUERRA?

A Guerra da Síria começou com grandes protestos populares em 26 de janeiro de 2011 e progrediu para uma violenta revolta armada em 15 de março do mesmo ano. Em 26 de agosto de 2011 tornou-se uma guerra declarada pelo próprio governo, e em 15 de julho de 2012 a Cruz Vermelha declarou o conflito como Guerra Civil uma vez que de um lado encontrava-se o governo e, de outro, o Conselho Nacional Sírio, assim denominado pela oposição, legalizando o que chamaram de Exército Livre Sírio. 

Aproveitando-se do caos da Guerra Civil na Síria, e também no Iraque, no ano de 2013 forças externas, auto proclamadas de Estado Islâmico, entraram na guerra, inicialmente apoiando a oposição Síria e seu Exercito Livre Sírio, e a seguir começaram a reivindicar os territórios da região e atacar todos os envolvidos no palco da guerra.

No ano de 2014, já na posse de vários territórios e impondo suas leis, esses agressores, com seu exército, proclamaram um Califado na região e já empossaram seu líder como Califa.

Essa guerra civil, que por não ser um conflito internacional estava sujeita a Convenção de Genebra e, portanto, à investigação de crimes de guerra, hoje pode ser reavaliada pois o conflito passou a ser internacional com a intervenção da OTAN, dos Estados Unidos, de Países Árabes, da Rússia e do Irã. Acredita-se que os migrantes sejam em maior número do que àqueles da Segunda Guerra Mundial.

Até o momento 260 mil pessoas foram mortas, metade dos quais civis, e 130 mil pessoas presas. Mais de quatro milhões de refugiados buscaram abrigos no exterior.

Uma comparação:

Nessa guerra, de 2011 a 2015, foram contabilizadas 260 mil mortes em combate. No Brasil, até o momento, já morreram 280 mil pessoas de morte intencional violenta, por conta dos criminosos soltos pelas ruas e do caos na Segurança Nacional provocado pelo descaso dos governos iniciados em 2003.

Estamos em uma guerra?

sábado, 28 de janeiro de 2017

PUXÃO DE ORELHAS ATÁVICO

Alguns são importantes outros se julgam....

A Ministra presidente do STF, Carmen Lúcia, é importante por seu cargo e não podemos dizer que não tenha competência ou conhecimento, afinal é uma magistrada. Mas é uma magistrada como todos os demais da mesma área o são; nem mais e nem menos do que Sérgio Moro, por exemplo.

O Juiz Moro, quando a cumprimentou em Porto Alegre, quis ser simpático ao desejar que tivesse serenidade na escolha do novo relator dos processos deixados pelo falecimento do Ministro Teori Zavaski; quis ser elegante, delicado, educado para com a ministra e a forma que naquele momento lhe pareceu ser adequada foi a de desejar-lhe serenidade no trabalho difícil que a presidente do STF tem pela frente.

Mas Sérgio Moro nem terminou seu cumprimento e recebeu um brusco puxão de orelhas em forma de resposta: "Do Supremo cuido eu" (!) teria exclamado a ministra.

Que coisa mais feia! Deselegante e pernóstico; forma arrogante e deseducada de responder a um colega de profissão.  Uma grosseria!

O que se espera de um Ministro indicado politicamente é que faça o seu trabalho; de preferência sem a lerdeza costumeira que se observa no Supremo.

Sérgio Moro, por seu turno, o Juiz de 1ª instância, concursado e não indicado politicamente, vem fazendo o seu trabalho com rigor, competência, de acordo com a lei e exaustivamente com a "mão na massa"; desenvolvendo sua função numa tarefa árdua em prol da Nação brasileira.

O espanto da plateia que observa os acontecimentos em nosso país; plateia essa que pode ser traduzida por Nação, pois toda a Nação está de plantão, numa expectativa dramática, aguardando a solução dos problemas imensos que o País enfrenta, todo o espanto, repito, ficou por conta de uma única coisa: A grosseria! 

sexta-feira, 27 de janeiro de 2017

VAMOS FALAR DE MUROS?

Trumph quer um muro que já existe; necessita apenas complementação e alguns ajustes. A imprensa comunista grita aos quatro ventos tamanha ousadia norte-americana; mas enquanto os cães ladram a caravana passa.

Mas por que esses cães não latem em outras fronteiras?

Barreiras Metálicas na fronteira de Ceuta e Melila
O muro que divide Espanha e Marrocos tem duas faces: Uma em Ceuta e, outra, em Melila; alguém por acaso tem uma ideia do seu custo? 30 milhões de Euros! Pagos pela União Europeia. É constituído por barreiras metálicas paralelas com seis metros de altura, encimados por arame farpado, postos de vigilância e caminhos entre barreiras para circulação de veículos de vigilância. O sistema é completado por redes de sensores subterrâneos de ruído e de movimento, luzes de grande potência, videovigilância e equipamentos de visão noturna.

E o muro do Marrocos? Quase o mesmo tamanho do que separa USA-México tem como suporte Minas que podem explodir em qualquer um que tente atravessá-lo; divide o país na fronteira com a Mauritânia.

A Grécia e a Turquia têm 200 km de fronteira e o muro anti-imigrantes é composto de uma cerca metálica com quatro metros de altura, reforçada com arame farpado; custou cerca de €$ 3,2 milhões aos cofres gregos e demorou um ano até ficar pronta em dezembro de 2012.

E tem muito mais! Israel e Cisjordania; as Coreias; tem muro até na ilha de Chipre numa disputa entre gregos e turcos com 180 km de extensão.

Barreira de arame farpado na região de Kashimir-Índia
Na índia mais 3 mil km de cercas separam-na do Paquistão, com permanente vigilância na região de Kashimir, onde uma barreira de arame farpado cercada por minas terrestres faz vítimas quase diariamente; uma barreira metálica se estende para impedir a imigração clandestina, estancar o terrorismo e o tráfico de drogas e armas. Já em Bangladesh uma outra barreira de ferro e arame farpado, com mais de 4 mil km, segue sendo patrulhada por guardas com ordem para atirar em qualquer invasor. Custou mais de 1 bilhão de dólares para a Índia há 26 anos atrás.

Embora muitos outros muros pelo mundo, que acarretaram mortes e ainda continuam ceifando vidas, por que o muro norte-americano, que agora Trumph quer concluir, é o que a imprensa comunista adora chamar de "muro da vergonha"?

Mais vergonhoso são os muros no Brasil que cada cidadão tem que construir para proteger seu patrimônio e se proteger da criminalidade que assola o País.